As remessas dos emigrantes portugueses subiram no ano passado 1,14%, para 3.645 milhões de euros, enquanto as verbas enviadas pelos estrangeiros a trabalhar em Portugal caíram 10,19%, para 478,4 milhões de euros, segundo o Banco de Portugal.

De acordo com dados divulgados pelo Banco de Portugal, os portugueses a trabalhar no estrangeiro remeteram para Portugal 3.645 milhões de euros ao longo de 2019, o que mostra uma subida de 1,14% face aos 3.604 milhões de euros enviados em 2018.

França assume posição de destaque

De acordo com a PORDATA, que recolheu os dados a partir das Estatísticas de Balança de Pagamentos do Banco de Portugal, os Portugueses residentes em França enviaram para Portugal 1.093,5 milhões de euros. Este pais regista assim o maior valor de remessas enviado para Portugal.

 

Segue-se a Suíça, país a partir do qual foi enviada a quantia de 988,7 milhões de euros, o Reino Unido com 359,6M€, a Alemanha com 274,5M€, Angola com 248,4M€ e os Estados Unidos, de onde os Portugueses enviaram 214,2 milhões de euros.

No lado oposto encontramos a Itália, Venezuela, Holanda e Brasil, como países de destino da Diáspora Portuguesa a partir dos quais foram enviadas menos remessas.

Remessas vs Investimentos

De acordo com a nota divulgada pelo Banco de Portugal, as remessas de emigrantes/imigrantes aqui em análise designam as verbas que as pessoas a viver e a trabalhar no estrangeiro há mais de um ano enviam para pessoas do seu país de origem.

Por outro lado, os montantes que o emigrante aplica no país de origem não são considerados remessas mas investimento estrangeiro.

Investimento estrangeiro em Portugal sobe 7% em 2019

O investimento externo em Portugal subiu em 2019 e a França assume novamente um papel de destaque, com uma subida de 27%. Estes dados revelam que, afinal, há mais Investimento Direto Estrangeiro (IDE) em Portugal.

Eleito como o melhor destino turístico do mundo pelo World Travel Awards, Portugal está a tornar-se o destino preferido de muitos Portugueses da Diáspora e Estrangeiros para a realização de investimentos.

Na margem da costa ocidental europeia, Portugal beneficia de uma localização estratégica. É um dos países mais globalizados e pacíficos do mundo e um território encantador e repleto de paisagens idílicas e excelentes oportunidades de negócios e investimentos em todas as Regiões que compõem este pais.

Por estes e muitos outros motivos, Portugal continua a estar no radar da sua Diáspora que quer aproveitar este contexto favorável para a realização de investimentos.

A opção entre manter as suas remessas em produtos financeiros ou contas bancárias e a aplicação destes valores em investimentos produtivo que possam gerar maior taxa de rentabilidade está cada vez mais a ser tomada em consideração pelos Portugueses e Lusodescendentes que residem e trabalham no Estrangeiro.

E o investimento no imobiliário continua a merecer a preferência e assegurar taxas de rentabilidade interessantes.

Para os estrangeiros que desejam viver e investir o seu dinheiro fora do país, Portugal dispõe de um dos melhores e mais populares Programas de Investimento: Os Vistos Gold, que podem oferecer a opção de morar em Portugal por um investimento mínimo de 350.000 euros e concedem o direito de viajar sem visto por todo o Espaço Schengen Europeu e obter a cidadania Portuguesa, cumpridos determinados requisitos.

 

 

O aumento da procura por investimentos em Portugal por parte de cidadãos da China, Brasil, África do Sul e Turquia

No caso da África do Sul – pais que vai acolher as Comemorações do próximo 10 de junho, Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas – este é o quarto maior investidor em Portugal, com 320 vistos Gold, depois da China (4.467), Brasil (863) e Turquia (380).

Um aumento que mais do que duplicou no ano passado atendendo ao facto de os sul-africanos perceberem os benefícios deste programa.

Segundo um relatório da New World Wealth, no ano passado deixaram África do Sul 130 residentes com fortunas individuais estimadas em 10 milhões de dólares americanos (9 milhões de euros), no mínimo. A cidade de Joanesburgo, capital da economia mais industrializada de África, lidera o ‘ranking’ das maiores fortunas no país, com um total de 248 mil milhões de dólares americanos (225,3 mil milhões de euros), seguida da Cidade do Cabo, sede do parlamento, com 133 mil milhões de dólares (120,8 mil milhões de euros).

Não podemos esquecer que Portugal é um país muito confortável e agradável para os Estrangeiros. A – universal – língua Inglesa é amplamente falada e o nível de vida oferece características e condições únicas e privilegiadas

 

O Governo português concedeu 8.207 autorizações de residência para investimento (ARI), ou vistos Gold, entre 2012 e 2019, indicam dados do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF). Os vistos Gold representaram neste período um investimento total estrangeiro de 4,992 mil milhões de euros em Portugal, segundo o SEF.

Alterações aos Vistos Gold só entrarão em vigor em 2021